O RETORNO À CASERNA

 

                 Os oficiais R/2 do Exército Brasileiro têm algumas datas emblemáticas. A primeira delas remonta aos anos vinte do século passado. Em 22 de abril de 1927, após persistentes esforços de convencimento dos chefes militares da época, o jovem Capitão de Artilharia Luiz de Araújo Correia Lima viu realizado o seu sonho com a criação, no Rio de Janeiro, do Centro de Preparação de Oficiais da Reserva do Exército, o primeiro no país. Pouco depois, a entrada do Brasil na II Guerra Mundial viria demonstrar o acerto dos ideais de Correia Lima. A Força Expedicionária Brasileira tinha em suas fileiras 1070 oficiais subalternos, dos quais 433 eram R/2. Quase a metade. Dos doze oficiais combatentes que deram suas vidas à Pátria no teatro de operações da Itália, meia dúzia eram R/2. Exatamente a metade.

               Outra data histórica para os oficiais oriundos do Sistema OFOR foi o dia 19 de maio de 1945, quando o 1º Tenente R/2 de Infantaria da FEB Apollo Miguel Rezk recebeu do governo dos Estados Unidos a medalha Distinguished- Service Cross por “extraordinário heroísmo em ação”, distinção máxima de bravura do exército americano, somente concedida àquele combatente entre os vinte e cinco mil militares da gloriosa FEB.

              Hoje, 9 de outubro de 2015, é mais uma data a ser inserida na história dos oficiais R/2 do Exército Brasileiro. A videoconferência do comandante da Força Terrestre, entre inúmeros e incontáveis pontos positivos, caiu para todos nós como um bálsamo a nos libertar, definitivamente, de incompreensões e sequelas de um passado felizmente já distante. Retornamos à casa paterna e fomos recebidos como filhos diletos. Foi impossível disfarçar a emoção que nos envolveu a todos nesta manhã. Os sorrisos, as lágrimas, os semblantes de felicidade, foram uma constante nos quase dois mil oficiais R/2 que, de Manaus a Porto Alegre, vibraram orgulhosa e intensamente com a expressiva e gratificante demonstração de apreço do nosso exército - e de seu ilustre comandante - pelos oficiais da reserva não remunerada. Onde estiverem - Correia LimaApollo e tantos outros que já se foram - certamente se perfilaram e executaram uma respeitosa e vibrante continência ao General Villas Bôas.

             O cenário nacional onde, entre tantos outros problemas, ressalta uma imensa crise de valores éticos e morais, está a exigir a manutenção da união e coesão das nossas forças armadas - ativas e da reserva - órgãos de Estado, sustentáculos da nacionalidade e garantidores da segurança da Pátria. Faremos a nossa parte e cumpriremos, sem vacilações, as missões que nos estão sendo destinadas para colaborar na recondução do Brasil ao seu verdadeiro e legítimo destino histórico.   

             O Conselho Nacional de Oficiais da Reserva e suas associadas - Sistema CNOR - representando a oficialidade do nosso segmento da reserva do exército, ao agradecer toda a honraria que nos foi concedida pela Força na data de hoje, renova e revigora, simbolicamente, o juramento do aspirantado.

 

OS TENENTES ESTÃO DE VOLTA, PRONTOS!

EXÉRCITO BRASILEIRO!

DÊ-NOS A MISSÃO!

Rio de Janeiro, 09 de outubro de 2015

.

 

“Patriotismo, União, Lealdade, Trabalho - Assim Atua a Reserva Atenta e Forte”

XVII ENCONTRO NACIONAL DE OFICIAIS DA RESERVA - XVII ENOREx - VILA VELHA - ES

DE 20 A 24 DE OUTUBRO

 

 

 


 

Joomlashack